Páginas

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Um encontro (quase) casual.

Postado por Ruby às 1/31/2011 03:17:00 PM 1 comentários
 Numa tarde quente de verão, ela esperava, tranquilamente, por Adriano. O sol queimava a pele clara, fazendo-a procurar por uma sombra qualquer. Imaginava qual seria o motivo do convite para um encontro tão inesperado.
 "Talvez precise conversar com alguém sobre seus problemas pessoais." - pensava. Mas todos sabiam que não era este o verdadeiro motivo.
 Um carro parou à sua frente e buzinou. Era ele. Entrou no carro, um pouco acanhada. O ar condicionado ligado e uma música tocava, suavemente.
 "Oi, como vai?" - Tentava disfarçar um pouco sua timidez. Não conseguiu. "Você está cheirosa." - disse Adriano. E Laura respondeu qualquer coisa parecida com "Obrigada". Estava completamente vermelha.
 Não demorou muito até chegarem ao local "combinado", e sentaram-se logo  num banco que estava vazio.
 Mal conseguiam se olhar. Não saíam juntos desde quando ainda eram namorados, e já havia passado quase quatro anos desde aquela época.
 Agora estavam os dois ali, sentados, olhando para o nada. Distantes. Até que Adriano fez questão de chegar mais perto, e envolvê-la com seus braços.
 Laura ficou perplexa. Então tudo aquilo que haviam lhe dito antes era verdade.
 Levantou-se, apressadamente, olhou nos olhos de Adriano, e disse para ele não confundir as coisas. Obviamente ela não era mais apaixonada por ele, apenas tinha uma forte consideração, um carinho, e amizade. Apenas.
 É claro que ele ficou decepcionado, mesmo assim, desculpou-se. Seu tão planejado encontro acabara ali mesmo. Não havia mais o que dizer, ou fazer.
 "Pode me levar para a casa agora?" Entraram novamente no carro, e novamente a música suave tocava.
 Adriano tentou esquecer o acontecido, e quebrar aquele clima chato: "Tenho um cd do Coldplay bem aqui!"
 E vieram, os dois, cantando "Viva la vida", como velhos amigos sempre faziam.

Ruby

sábado, 29 de janeiro de 2011

Peça Rara

Postado por Ruby às 1/29/2011 07:29:00 PM 1 comentários
Estou cansada.
E esse cansaço me extrai
Toda semente de inspiração
Através da qual geraria
Um poema.
Por causa do cansaço
Eu prefiro o aborto...
E o poema que até então
Poderia ser verdade
Se quebra como um cristal:

P                                     P
  O                               O
     E                          E
       M                   M
          A              A

Caem as mãos fartas
De juntar os cacos
Para restituí-los.
Tarde demais...
Porém, foi agora a minha descoberta
De que poderia ser uma peça rara no mundo.

Ruby;

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Coisas do Amor

Postado por Ruby às 1/27/2011 04:46:00 PM 1 comentários
Não espere demais do outro

A maior causa de sofrimento do ser humano, segundo a filosofia da ioga, está voltada ao apego: seja por bens materiais, por ideias, pelo outro ou por tudo o que não lhe pertence. Essa questão afeta sobremaneira os relacionamentos. Ou seja, o apego, o viver em função do outro, o distanciar-se do centro sempre impactaram as relações e o ser.

Por isso, vale a pena ressaltar: quanto mais longe colocarmos a felicidade, mais nos distanciamos do centro, do que já trazemos dentro, mais nos distanciamos dessa mesma felicidade que já é nossa. Essa certeza aparece em outras tantas filosofias orientais e ocidentais e é também levada a todos pelos maiores mestres de todos os tempos.

Lição de desapego
Nesse momento, por coincidência, terminei de ler o livro "Mestres", de José Tadeu Arantes. Ele apresenta histórias de Jesus, Plotino, IBN Árabi, Goethe e outros, e reafirma toda essa questão.
Vale, então, a leitura quando o negócio é desapegar-se. Olhar para dentro. Ficar com o que é nato, com o que herdamos enquanto humanos.
Nesse sentido, para a cessação dos problemas da mente, a aquietação da alma e do espírito, tão almejadas na meditação, pode ser potencializada essa dinâmica que nos faz compreender que somos o todo e temos o todo em nós.
O desapego e o equilíbrio entre mente, corpo, emocional e espiritual corroboram para que possamos simplesmente incluir o que é bom no nosso viver.
Posto isso, quando olho para as nossas relações, entendo que estas deveriam ser incluídas na nossa vida como um presente. O outro nos faz mais bonitos, mais leves, mais alegres.
O pulo do gato, nesse caso, está em compreender que o outro só pode despertar o que temos.

Causas perdidas
Ao longo da vida, ao contrário de muitos que conseguem separar o que é ser e o que é ter e estar, confundimos tudo e misturamos o nosso querer e sonhos com a busca de outro.
Isso, além do desvio da nossa rota, em longo prazo, nos torna dependentes de histórias que não são nossas. Passamos a ser guardiões de causas perdidas e deixamos de lado nossos sonhos, nosso âmago, nosso ser.
Daí a abandonar nossos sonhos, abandonar nosso querer, é um pulo...Talvez por isso insista em falar desse tema quando trato de amor e relacionamentos.
Como afirma Fernando Pessoa: "...Para ser grande, sê inteiro: nada teu exagera ou exclui. Sê todo em cada coisa. Põe quanto és no mínimo que fazes..."

Matéria interessante da Sandra Maia em 23 de Janeiro de 2011.
Boa semana!
Ruby;

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Welcome!

Postado por Ruby às 1/26/2011 07:52:00 PM 0 comentários
Boa Noite!


Mudança

Mude, mas comece devagar,
porque a direção é mais importante que a
velocidade.

Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa.
Mais tarde, mude de mesa.

Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua.
Depois, mude de caminho, ande por outras ruas,
calmamente, observando com
atenção os lugares por onde você passa.

Tome outros ônibus.

Mude por uns tempos o estilo das roupas.
Dê os seus sapatos velhos.
Procure andar descalço alguns dias.
Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia,
ou no parque, e ouvir o canto dos passarinhos.

Veja o mundo de outras perspectivas.

Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda.
Durma no outro lado da cama...
Depois, procure dormir em outras camas
Assista a outros programas de tv,
compre outros jornais... leia outros livros.

Viva outros romances.

Não faça do hábito um estilo de vida.
Ame a novidade.
Durma mais tarde.
Durma mais cedo.

Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.

Corrija a postura.

Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes,
novos temperos, novas cores, novas delícias.

Tente o novo todo dia.
O novo lado, o novo método, o novo sabor,
o novo jeito, o novo prazer, o novo amor.
A nova vida.

Tente.

Busque novos amigos.
Tente novos amores.
Faça novas relações.

Almoce em outros locais,
vá a outros restaurantes,
tome outro tipo de bebida,
compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo,
jante mais tarde ou vice-versa.

Escolha outro mercado... outra marca de sabonete,
outro creme dental...
Tome banho em novos horários.

Use canetas de outras cores.
Vá passear em outros lugares.

Ame muito,
cada vez mais,
de modos diferentes.

Troque de bolsa, de carteira, de malas,
troque de carro, compre novos
óculos, escreva outras poesias.

Jogue os velhos relógios,
quebre delicadamente
esses horrorosos despertadores.
Abra conta em outro banco.

Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros,
outros teatros, visite novos museus.

Mude.

Lembre-se de que a Vida é uma só.
E pense seriamente em arrumar um outro emprego,
uma nova ocupação,
um trabalho mais light, mais prazeroso,
mais digno, mais humano.

Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.

Seja criativo.

E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa,
longa, se possível sem destino.
Experimente coisas novas.
Troque novamente.

Mude, de novo.
Experimente outra vez.

Você certamente conhecerá coisas melhores
e coisas piores do que as já
conhecidas, mas não é isso o que importa.

O mais importante é a mudança,
o movimento, o dinamismo, a energia.
Só o que está morto não muda !
Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco,
sem o qual a vida não vale a pena !!!

(Clarice Lispector)

Mude sempre para melhor! Sejam bem-vindos ao meu blog!

Ruby;
 
                         
 

Liberte-se, mude! Copyright 2009 Sweet Cupcake Designed by Ipiet Templates Image by Tadpole's Notez